sábado, 19 de dezembro de 2020

Estados Unidos: Anatomia de uma eleição ROUBADA

Um post para a nossa secção ESTADOS UNIDOS
 
(Não perca os vídeos no final)
 
 

A cada dia que passa, aumenta a evidência de fraude eleitoral nas eleições presidenciais norte-americanas. Além das excelentes reportagens da equipa do Gateway Pundit e dos media não dependentes do Sistema, a maioria dos media - impressos e electrónicos - estão envolvidos numa campanha de propaganda completa para tentar persuadir o público americano de que as alegações de fraude são teorias da conspiração desmascaradas.
Nunca, desde os maus velhos tempos da União Soviética, testemunhámos mentiras tão desprezíveis. Em comparação com a negação do Bagdad Bob de que os tanques dos EUA invadiram o Iraque - o equivalente a uma explosão de granada - a actual campanha de falsidades é comparável a uma frota de B52s lançando bombas de hidrogénio.

 

 

O plano democrata de roubar a eleição foi além da velha táctica de votar no cemitério. Desta vez, incluiu boletins contrafeitos, com apenas o nome do velho Joe Biden anexado, e máquinas de votação que contariam esses boletins em múltiplos enquanto contavam os votos de Donald Trump como menos de um. Todas essas máquinas tinham um software que era acessado por operativos democratas e seus ajudantes de Silicon Valley, bem como pelos chineses.
Usando essa combinação de boletins contrafeitos e manipulação de máquinas, os resultados em seis Estados-chave são fraudulentos e mais do que suficientes para provar que os votos fraudulentos excederam a suposta margem de vitória de Biden em cada um desses Estados:

 

PENSILVÂNIA (20 votos eleitorais)

Biden + 81.000 votos

Fraudulentos: 121.000 votos

WISCONSIN (10 votos eleitorais)

Biden + 20.000 votos

200.000 votos fraudulentos

ARIZONA (11 votos eleitorais)

Biden +10.000 votos

300.000 votos fraudulentos

MICHIGAN (16 votos eleitorais)

Biden +154.000 votos

Fraudulentos: 548.000 votos

GEÓRGIA (16 votos eleitorais)

Biden + 12.000 votos

Fraudulentos: 204.000 votos

NEVADA (6 votos eleitorais)

Biden + 33.000 votos

Eleitores mortos: 1.500

Endereços alterados: 2500

Endereços vagos: 6000

Endereços inexistentes: 8.000

Endereços omerciais: 15.000

Votos de eleitores de fora do Estado: 20.000

Votação dupla: 42.000

Votos fraudulentos: 95.000 (a soma dos anteriores).

Os números contam a história. Somos solicitados a acreditar que Joe Biden ganhou mais votos do que Barack Obama. Você lembra-se das multidões que Obama atraiu durante as eleições de 2008? Embora não se tenham nem aproximado das massas que Donald Trump atraiu em 2020, não tinham precedentes na época.

 


De forma alguma, Joe Biden conquistou 13 milhões de votos a mais do que Barack Obama. Obama tinha carisma e seguidores. Biden tinha funcionários aperelhistas. Uma pilha de lixo apodrecendo sob um sol quente de Julho atrai mais moscas do que os apoiantes de Biden para um evento de campanha.

 

Considere estes FACTOS (graças à excelente análise de Patrick Basham): 
 
. O presidente Trump recebeu mais votos do que qualquer candidato anterior à reeleição e qualquer candidato anterior à eleição. Ele recebeu 12 milhões de votos a mais do que em 2016, um aumento de mais do que qualquer titular na História. 
 
. Trump aumentou o seu apoio entre os eleitores Negros em 50% em relação a 2016. Nacionalmente, o apoio Negro de Joe Biden caiu bem abaixo de 90%, nível abaixo do qual os candidatos presidenciais democratas costumam perder. 
 
. Trump aumentou a sua percentagem no voto hispânico nacional para 35%. 
 
. Os Estados do Meio-Oeste de Michigan, Pensilvânia e Wisconsin oscilam sempre na mesma direcção de Ohio e Iowa, seus pares regionais. Ohio também oscila com a Florida. As contagens mostram que o chamado Cinturão de Ferrugem oscilou na direcção de Trump. Ainda assim, Biden lidera em Michigan, Pensilvânia e Wisconsin por causa de uma aparente avalanche de votos Negros em Detroit, Filadélfia e Milwaukee. A margem de "vitória" de Biden foi derivada quase inteiramente de tais eleitores nessas cidades e, coincidentemente, o seu voto Negro disparou apenas nos locais exactamente necessários para garantir a vitória. 
 
. Biden venceu com um recorde negativo de apenas 17 por cento dos condados; ele ganhou apenas 524 condados, em oposição aos 873 condados que Obama ganhou em 2008. 
 
. No final da noite da eleição, com Trump confortavelmente à frente, muitos Estados decisivos pararam de contar os votos. Na maioria dos casos, os observadores foram removidos das instalações de contagem. A contagem continuou sem os observadores.
 
. As contagens de votos estatisticamente anormais foram o novo normal quando a contagem foi retomada. Eles eram excepcionalmente grandes em tamanho (centenas de milhares) e tinham uma relação Biden-Trump excepcionalmente alta (90 por cento e acima).
 
. Votos em falta. Em Delaware County, Pensilvânia, 50.000 votos em 47 cartões USB estão em falta.
 
. Eleitores não residentes. O Projecto de Integridade do Eleitor de Matt Braynard estima que 20.312 pessoas que não atendem aos requisitos de residência votaram na Geórgia. A margem de Biden é de 12.670 votos. 
 
. Indicadores graves de fraude eleitoral: endereços residenciais inválidos, elevado número de pessoas mortas votando, boletins em perfeitas condições, sem vincos, ou seja, não foram enviadas em envelopes conforme exigido por lei, nomalias estatísticas. 
 
. Na Geórgia, Biden ultrapassou Trump com 89% dos votos contados. Nos 53 lotes seguintes de votos contados, Biden liderou sobre Trump pela mesma margem exacta de 50,05 a 49,95 por cento em cada lote. 
 
. Esse mesmo cenário aconteceu cirúrgicamente, contrariando a tendência nacional, em Wisconsin, Michigan, Pensilvânia e Virgínia.  
A verdade das eleições de 2020 é que Donald Trump obteve uma vitória histórica. Mas o Estado Profundo, aqueles que lucram com a guerra e relações acolhedoras com os chineses e uma ordem internacional que sacrifica os trabalhadores americanos, está ansioso para eliminar Trump. 
 
Resta saber se Donald Trump vai prevalecer no Supremo Tribunal e no Congresso. O futuro da República Americana depende deste momento. Até agora, o Departamento de Justiça e o FBI estão desaparecidos em combate. Se eles falharem em fazer a coisa certa, respeitar a lei e levar os culpados à justiça, o futuro desta nação estará em risco. 
 
Se Joe Biden for empossado, o seu reinado será curto e desastroso. A maioria dos 74 milhões de americanos que votaram em Donald Trump não o reconhecerá como um líder legítimo. As sementes da revolução serão plantadas e a ordem estabelecida que governa Washington ver-se-á diante de um movimento de oposição nacional sem precedentes na História deste país. 
Eu, junto consigo, rezo para que isso não aconteça. Mas se devemos resistir aos usurpadores, então devemos resistir. Esta fraude não pode subsistir. E todos os membros republicanos do Congresso - Câmara e Senado - estão informados.

 

Via:




 


Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Suspendemos aqui as postagens regulares

  A todos os excelentes amigos e fiéis leitores, que sempre nos honraram com o seu apoio, o nosso MUITO OBRIGADO!