quinta-feira, 29 de junho de 2023

Escolha bem o seu destino de férias...

- Antes de pensar em fazer turismo num país muçulmano como o Marrocos… veja isto. (AVISO: Muito gráfico)

Foi o que aconteceu quando duas jovens muito ingénuas partiram numa aventura de caminhada em Marrocos e se encontraram com alguns jovens locais ao longo do caminho.

A filmagem mostra a Sra. Jespersen de cuecas, gritando, enquanto um homem é visto serrando o seu pescoço com uma faca grande enquanto duas vozes masculinas podem ser ouvidas gritando 'é a vontade de Alá'.


As jovens europeias: 


 Os jovens muçulmanos marroquinos:


Fundação RAIR - No final de 2018, Louisa Vesterager Jespersen (24) e Maren Ueland (28), que eram colegas de quarto na Universidade Bo da Noruega, andavam a fazer trekking, sem guia, na área ao sul de Marrakesh. As meninas foram estupradas e decapitadas por três muçulmanos enquanto acampavam na base da montanha mais alta da cordilheira, o Monte Toubkal, em dezembro. Os três terroristas filmaram as decapitações e publicaram-nas online.


Ejjoud e Ouaziyad admitiram ter decapitado as mulheres, enquanto Afatti disse que filmou os assassinatos. Os muçulmanos planearam vários ataques terroristas, incluindo igrejas e sinagogas, mas, em vez disso, escolheram matar as duas universitárias escandinavas. Os jihadistas disseram que atacaram Maren e Louisa porque estavam sozinhas.

 

Os corpos das mulheres foram descobertos em 17 de Dezembro de 2018, e a autópsia revelou ferimentos graves e horríveis nos corpos de Louisa e Maren.


E para provar que este vídeo de decapitação não impediu a esquerda de promover a sua propaganda perigosa, logo após o massacre, o site de notícias liberal Independent no Reino Unido promoveu viagens de mochila às costas para o Marrocos para jovens solteiras em comemoração do Dia Internacional da Mulher.

 

Vítimas das mentiras da esquerda

Os assassinatos e o vídeo mostrando os assassinos decapitando as mulheres chocaram o Marrocos e o mundo por apenas alguns momentos. Infelizmente, os media e os políticos de esquerda continuam a fabricar a perigosa mentira de que todos são “iguais a nós” e todas as culturas são iguais. A mentira da esquerda está a enganar as mulheres e a custar-lhes a vida.

Se mais turistas forem decapitados, o Independent terá o sangue deles nas mãos.

Em 2015, uma das meninas compartilhou o seguinte vídeo de propaganda alemã envergonhando pessoas que têm preocupações legítimas sobre os praticantes do Islão. O governo de esquerda da chanceler Angela Merkel fez grandes esforços para branquear o Islão. O engano proposital de Merkel deixou as meninas escandinavas perigosamente mal informadas sobre a ameaça real da crença islâmica que lhes custou a vida:


Na altura, publicámos o vídeo destes sacrifícios humanos ao deus Alá. Em consequência da denúncia em massa por parte de militantes de extrema-esquerda, tivemos o nosso blog original censurado durante 6 meses e foram-nos derrubados metade doas postagens. Por isso, não voltamos a publicar o vídeo, mas pode vê-lo no BARE NAKED ISLAM

Sem comentários:

Enviar um comentário