domingo, 17 de fevereiro de 2019

Coco Chanel: "Uma única gota de sangue judeu basta para eu te matar!"


"Gabrielle Chanel - mais conhecida como Coco - era um ser humano miserável. Anti-semita, homofóbica, alpinista social, oportunista, ridiculamente snobe e dada a pecados como as frases feitas do tipo "Se é loira, use perfume azul", era viciada em morfina e colaborou activamente com os alemães durante a ocupação nazi de Paris" - New York Times.

Pierre Wertheimer e seu irmão Paul, grandes empresários judeus parisienses,  montaram a casa de cosméticos Bourjois, a maior nos anos 20. Em 1924, Coco Chanel associou-se com eles e criou a Parfums Chanel. 70% da nova empresa era dos Wertheimer, que contribuíram não só com o capital, mas também com a sua experiência, para vender o perfume Chanel No. 5. Tudo estava bem, mas em Maio 1940, os nazis tomaram Paris.

Coco Chanel, que se sentia "ariana", dirigiu-se às autoridades nazis e solicitou que a empresa passasse legal e completamente para as suas mãos, pela simples razão de que os seus parceiros eram judeus. O que Coco não sabia era que os irmãos não eram idiotas e, antes de fugirem para Nova Iorque, puseram um cristão - Felix Amiot - como director da empresa.

Coco Chanel, em seguida, retirou-se para viver na sede dos nazis em Paris, o Ritz, não se importando minimamente com os rumores sobre o seu "romance" com o chefe das informações nazi, o Barão Hans Gunther von Dincklage, embaixador e espião que morreu na sua reforma dourada em Maiorca, no tempo de Franco, especificamente em 1974.
O jornalista americano Hal Vaughan, conta no seu livro "Dormindo com o Inimigo: Coco Chanel Agente Nazi", uma compilação de documentos revelados pelo governo francês. (...)



Segundo Vaughan, Coco Chanel aprendeu o anti-semitismo de seu noivo, Paul Iribe (falecido em 1935) que se dedicava à ilustração com representações estereotipadas de judeus. Como "socialite" do meio mais mundano de Paris, Iribe, para falar dos Rothschilds, referia-se a eles com o desdenhoso termo da gíria francesa "youpins", porque eles não mereciam sequer ser chamados judeus. Deste homem ela também aprendeu a ser uma homofóbica radical.
Enquanto isso, Coco ia para a cama no Ritz com um belo canalha nazi que procurava o máximo de informações possível, Walter Schellenberg, que foi quem a treinou nas artes da espionagem para Hitler.
Quando libertaram Paris, ela estava na cama com ele e foi presa - mais tarde libertada - mas quando anos depois, após os julgamentos de Nuremberga, ele morreu, foi ela quem cuidou de tudo, inclusive pagando pelo seu funeral.

 
Depois da guerra, começou o litígio com os irmãos judeus que ela havia denunciado. Finalmente, diz a Forbes, os passos processuais concluíram com a decisão comum que incluiu a renegociação do contrato original de 1924. Assim Coco Chanel cortou a possibilidade de escândalo público.
Em 17 de Maio de 1947, o estilista recebeu lucros das vendas da Chanel No. 5 em tempos de guerra, no valor de US $ 400.000. Além disso, Pierre Wertheimer concordou com um arranjo invulgar proposto pela própria Coco Chanel, no qual ela concordou em pagar todas as despesas que Coco Chanel fez - do trivial ao mais caro - pelo resto da sua vida.
A sua vida levou-a a tornar-se uma velha tirana, rabugenta e solitária - mal tinha amigos - que morreu de ataque cardíaco, sozinha, no Ritz, onde vivia há 30 anos.

- Traduzido de NOTÍCIAS DE ISRAEL


........................................................


"Depois da Libertação, Coco Chanel foi presa por crimes de guerra, mas nunca foi condenada, graças, sem dúvida, à amizade que Winston Churchill tinha por ela" - Daily Beast e Enlace Judio.

Outros estilistas nazis foram/são, por exemplo, Hugo Boss, Louis Vuitton, e John Galliano.

John Galliano (amplamente aplaudido pelos internautas) dizendo que ama Hitler, louvando o Holocausto, e dizendo que "os judeus merecem morrer, por serem feios":
Fuente: Kehilá Beit Emuná

Artículo original de © israelnoticias.com | Autorizado para su difusión incluyendo este mensaje y la dirección: https://israelnoticias.com/antisemitismo/antisemita-coco-chanel-nazi/
Fuente: Kehilá Beit Emuná

Artículo original de © israelnoticias.com | Autorizado para su difusión incluyendo este mensaje y la dirección: https://israelnoticias.com/antisemitismo/antisemita-coco-chanel-nazi/


21 comentários:

  1. Todas as p.... são oportunistas e por isso dormem com quem lhes pode dar poder , seja ele racista homofóbico ou outro qualquer

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E esta senhora é apresentada nos media como uma pessoa normal, quando na verdade foi uma criatura desprezível e criminosa. Ou talvez por isso seja tão louvada...

      A. P.

      Eliminar
  2. Jamais usaria produtos CDior ou Chanel n.5. A história nos diz muito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faço minhas as suas palavras. BMW, Volkawagen, Krupp, Boss, Chanel, Balenciaga, Dior, Bayer, muitas marcas com as mãos sujas de sangue.

      A Bayer comprava "lotes de mulheres judias" ao campo de extermínio de Auschwitz, para fazer experiências mortíferas: https://amigodeisrael2.blogspot.com/2019/01/quando-firma-alema-bayer-comprava-lotes.html

      Mesmo não sendo judeu, enoja-me que essas marcas não tenham sido questionadas sobre os crimes em que colaboraram.

      Abraço,

      J.O.

      Eliminar
    2. A Dior escurraçou Galliano depois do que ele fez. A casa não concorda com as suas idéias e atitudes nazistas. Desrespeitou os judeus e também a casa Dior.

      Eliminar
    3. Felizmente hoje a Dior posiciona-se, pelo menos publicamente, contra tais atitudes. Curiosamente, hoje morrei Karl Lagerfeld, um alemão que se tinha posicionado contra a islamização da Alemanha e contra o anti-semitismo. Não percebo nada de moda, mas o senhor era uma figura carismática.

      J.O.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Não é para espantar. O anti-semitismo na Europa tem raízes profundas, e nunca cessou, apesar de nos últimos 70 anos ter sido politicamente incorrecto. Hoje, à luz do dia, os anti-semitas europeus declaram-se como tal, e recebem aplausos.

      A. P.

      Eliminar
  4. Vi um documentário sobre ela, decepcionei. Que mulher vulgar, promíscua, mesquinha, uma traíra!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muita gente que está no topo, subiu à custa de espezinhar os outros. Abençoada mediania, se nos faz felizes e evita que cometamos más acções.

      J.O.

      Eliminar
    2. Houve um movimento para fuzilar coco chanel. De Gaulle a salvou.

      Eliminar
  5. Os anti semitas sao doentes mentais por inveja, sofrem e se tratam com psicanalista JUDEU, tomam medicamentos de igual origem, não se afastam de um celular inventado em Israel. Enfim, são cegos aos grandes inventos que a UNICA democracia do Oriente propicia. Escondem a sua doença: INVEJA. Shalom

    ResponderEliminar
  6. Ja conhecia a historia de coco chanel,mas na vida sempre encontramos pessoas que se assciam aos pretensos vencedores,alguns dão sorte e escapam ilesos

    ResponderEliminar
  7. Uma merda está velha🎗️🎗️🎗️🎗️🎗️🎗️puta Chanel. Um cocô.

    ResponderEliminar
  8. Ena, que senhora encantadora.
    Bem, comigo não ganha dinheiro.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Felipe Neto recomenda SODOMIA

  Olavo de Carvalho avisou - é atrás das crianças que eles andam! Felipe Neto, o ídolo da juventude, o queridinho do Sistema, o modelo para ...