domingo, 31 de maio de 2020

(VÍDEO) EUA: Polícia mata um cidadão branco e ninguém liga



George Floyd e Tony Timpa foram ambos mortos por polícias, mas só a vida de Floyd vale alguma coisa.

A extrema-esquerda está a tentar provocar uma guerra civil para culpar Trump. Os media vão fazendo a sua lavagem cerebral às massas manipuláveis de idiotas úteis.

A América está a arder porque um agente da Polícia terá causado a morte de uma pessoa Negra.
Neste caso que vos trazemos ainda é mais evidente que o indivíduo foi morto pela Polícia. Mas era Branco. Consequentemente, o processo foi arquivado e os agentes voltaram às suas funções passado um mês. Pouca gente ligou.
A realidade demonstra que com muito mais razão se deveria lembrar que "WHITE LIVES MATTER" (as Vidas Brancas Contam) do que BLACK LIVES MATTER (as Vidas Negras Contam). Só que a famigerada politica de identidade idolatra todas pessoas que não sejam brancas, judeo-cristãs e heterossexuais. E despreza totalmente estas últimas. Vidas humanas não têm cor!
A Política mais rasteira determina quanto vale cada vida humana, dependendo dos objectivos a atingir na manipulação das massas.
Neste caso a morte de uma pessoa Negra foi providencial para culpar Trump (a quem se culpa por tudo) e sonhar finalmente em destroná-lo. A esquerda  dá pulos de alegria.
Todas as vidas contam. É obsceno instrumentalizar uma morte trágica para fins politiqueiros eleitoralistas.



Vídeo mostra a Polícia de Dallas zombando do homem que morreu quando o prenderam
The Guardian, hiperligações no original.

     Tony Timpa morreu sob custódia policial depois de ligar para o 911 para obter ajuda  
     Vídeo da Bodycam finalmente lançado após três anos de batalha legal

O vídeo da polícia de Dallas prendendo um homem no chão por mais de 13 minutos até que ele perca a consciência e morra foi tornado público após uma batalha legal de um ano.

Tony Timpa, 32 anos, morreu em Agosto de 2016, quando foi detido por três polícias num estacionamento de Dallas. Timpa telefonou para o 911 para dizer que havia tomado o remédio para esquizofrenia e depressão e precisava de ajuda.


No vídeo da câmara, finalmente obtido pelo Dallas Morning News, Timpa, que foi algemado por seguranças da loja, está preso ao chão na posição de bruços, com um joelho nas costas enquanto pede à Polícia que o solte.
"Você vai matar-me!" - Timpa grita repetidamente.

Os três agentes riem e brincam enquanto prendem Timpa no chão. Um deles zomba de Timpa chamando-lhe "gordalhufo". Quando Timpa deixa de dar sinais de vida, com o rosto na erva, os polícias brincam dizendo que ele adormeceu. Quando Timpa finalmente para de se mover, o trio continua zombando.

"De volta à escola! Vamos, acorda!" - diz um agente.


Outro, imitando um adolescente, diz: "Eu não quero ir para a escola! Mais cinco minutos, mãe!".

Somente após a chegada de uma ambulância os polícias demonstram preocupação. "Espero não o ter morto", diz um deles.

Na ambulância, um paramédico diz aos polícias que Timpa não está a respirar. Outro paramédico aponta para Timpa e diz: "Ele está morto".


O filme faz parte de um processo movido pela família de Timpa que alega que a Polícia usou força excessiva.

"As imagens mostram graficamente a morte desnecessária de um jovem desarmado", disse o advogado da família, Geoff Henley, ao New York Times na quinta-feira. "O que é pior, alguns dos polícias pareciam mais interessados ​​em fazer piadas do que em manter Tony vivo."

Por três anos, após uma investigação do Dallas Morning News, as autoridades municipais e estaduais resistiram à divulgação deste vídeo.


Inicialmente, eles argumentaram primeiro que a publicação do vídeo interferiria num processo criminal aberto que acusou os polícias de "se envolverem em conduta imprudente que colocou a Timpa em perigo iminente de ferimentos corporais graves". Mais tarde, as autoridades decretaram o arquivamento do caso.

Em Março, as acusações foram negadas porque o procurador do distrito de Dallas, John Creuzot, depois de consultar três médicos legistas, concluiu que era improvável que os promotores pudessem obter uma condenação. Os agentes foram disciplinados e voltaram à actividade um mês depois.

A morte de Timpa foi classificada por autópsia como homicídio, a sua morte causada por morte súbita por paragem cardíaca devido aos "efeitos tóxicos da cocaína e ao stress associado à contenção física".


-----------------------------------------------------------------



Numa nota relacionada com este caso, a candidatura de Joe Biden, segundo dizem os analistas, vai mesmo ser obrigada a escolher  Stacey Abrams para candidata a vice-presidente. Porque é Negra.
Não será este racismo (chamado "positivo") igualmente lamentável? Não deveriam as pessoas ser tidas em consideração pelas suas qualidades, carácter, aptidões, e não pela cor da pele?
A nós parece-nos que esta fixação racial é uma estupidez. Dá cá um preto, toma lá um branco, o Fulano era bom para este cargo, mas tem a pele desta ou daquela cor... IGUALDADE não é isto.

VÍDEO: Bandidos lincham comerciante nos motins em Dallas


Sob o pretexto da morte ainda não esclarecida de George Floyd pelo seu amigo e colega de trabalho Derek Chauvin (que os media e a extrema-esquerda já decretaram que foi racismo), os terroristas dos Antifa e Black Lives Matter e outros bandidos, tomam as ruas para espancar, saquear, incendiar, destruir, roubar e matar:

Minneapolis: mulheres raptadas e motoristas baleados aleatoriamente

Porque a luta contra o (eventual) racismo policial faz-se a gamar aspiradores e a alvejar polícias.

Este proprietário de uma loja em Dallas foi espancado a pontapés na cabeça, com calhaus e tábuas de skate. Ignora-se sobreviveu:


Assim como "o sangue e as propriedades dos infiéis pertencem aos muçulmanos" (ver aqui) também o sangue e as propriedades de quem trabalha pertencem aos comunistas.
Na visão doentia da extrema-esquerda, o proprietário da loja é um bandido, e os que provavelmente o assassinaram, são justiceiros sociais de primeira água:




Escreve Eduardo Bolsonaro:
"JÁ VIU UMA PESSOA A FAVOR DO ASSALTO? Eis o doentio pensamento comunista que acha que o assaltante é um excluído da sociedade capitalista, então quando ele te rouba na verdade ele está distribuindo riquezas, tornando a sociedade mais igual e rompendo com a ordem instalada pela burguesia - leia-se código penal a ser aplicado a esses excluídos através do aparato repressor, que é a polícia e justiça. Por isso eles não condenam a violência alarmante da Venezuela, mas sim entendem que a Venezuela passa por um estágio revolucionário que antecede o mundo ideal. Para eles é um estágio transitório onde as vidas perdidas valem a pena afim de que o mundo ideal venha no futuro. Qual é o mundo ideal? Todos iguais. Onde todos são iguais? Em Cuba, na Coréia do Norte... ESSES CARAS SÃO DOENTES!!!"

Não menos doentio é que, para o Blogger/Google, para o Youtube, para o Facebook, para o Twitter, os media mainstream, para a ideologia oficial, este linchamento nada tem de errado. Errado é mostrá-lo, porque é considerado "incitamento ao ódio".
P.S. - Ainda recentemente tivemos um gangue destes a fazer das suas, num episódio que foi falado porque foi filmado e porque o Professor Martelo estava por perto. Estes também são "a favor do assalto". E também cilindram quem não esteja de acordo:





E já se fala em sanções para os agentes, por "brutalidade nas detenções"...

Minneapolis: mulheres raptadas e motoristas baleados aleatoriamente

Numa detenção que parece ter desrespeitado todas as normas (foto acima) George Floyd, que conduzia fortemente alcoolizado, teve o joelho do agente da Polícia Derek Chauvin sobre o seu pescoço durante mais de 8 minutos. Floyd sofria de problemas cardíacos e morreu.
Como Floyd era Negro e Chavin era branco, os media trataram de agitar as chamas da guerra racial. Não esperaram pelo inquérito nem tiveram em conta, por exemplo, que o agente e o detido eram amigos e tinham trabalhado juntos até há pouco tempo, e que o racismo pode nem ter tido nada a ver.
Os jornalistas são useiros e vezeiros em operações de propaganda como esta, que já levaram a episódios de guerra civil nos Estados Unidos. A extrema-esquerda, por seu lado, esfrega as mãos, pois está aqui uma oportunidade de criar o caos para chegar ao poder. Grupos terroristas como os Antifa ou os Black Lives Matter estão nas ruas a aplicar acções de guerrilha, conduzindo as massas encarneiradas na pilhagem e na destruição.
Donald Trump escreveu que os bandidos que estão nas ruas a destruir, queimar e atacar pessoas e bens, estão a desonrar a memória de George Floyd. Como tudo quanto Trump diga ou faça está mal, o Twitter censurou Trump por "discurso de ódio", e a extrema-esquerda redobrou o seu incitamento à guerra civil.

 





Mulheres sequestradas e puxadas para carros durante os motins em Minneapolis, motoristas aleatórios baleados

A Polícia ainda está parada enquanto a cidade arde pela segunda noite consecutiva.

Libor Jany, repórter do Star Tribune, escreveu no Twitter que “no meio de tudo isto, a Polícia está a ser chamada para investigar um possível sequestro no estacionamento do outro lado da rua, em frente ao posto de combustível. Diz-se que uma mulher que gritava foi forçada a entrar num veículo que depois fugiu”.
Tweets:




https://gellerreport.com/2020/05/women-kidnapped-riots.html/


sábado, 30 de maio de 2020

EUA/Caso George Lloyd: Muçulmanas já saqueiam

«Nada diz "protesto por um irmão negro caído" como roubar um aspirador de pó»
- comentário no Youtube.

Nos Estados Unidos, uma detenção de um condutor fortemente alcoolizado resultou na morte do mesmo. Os agentes envolvidos na morte de George Lloyd, sendo polícias e brancos, e sendo a vítima uma pessoa negra, não gozam da presunção de inocência.
Já foram despedidos e sumariamente julgados e condenados no tribunal dos media. O julgamento no Tribunal propriamente dito, só vai confirmar o que já foi decretado pelo politicamente correcto.
Nota: na nossa opinião, os agentes foram negligentes e a sua conduta parece-nos errada, mas as opiniões não substituem  a Lei no apuramento de responsabilidades.


Comerciantes guardam as suas lojas, armados.


Entretanto, a extrema-esquerda está a saquear, incendiar, alvejar polícias, espancar inocentes, dando largas aos seus instintos criminosos e tentando a todo o custo gerar uma guerra civil, pois só assim o Homem Mau Cor-de-Laranja pode ser impedido de ganhar as eleições que se aproximam.
As hordas de criminosos são constituídas por grupos terroristas como os Antifa, os terroristas racistas supremacistas Negros Black Lives Matter, mais a costumeira carneirada hippie, as feminazis, os gayzistas e fauna variada. 
Visto que "o sangue e as propriedades dos infiéis pertencem aos muçulmanos", eles também estão a dar uma mãozinha.


A supremacista islâmica, fez carreira como defensora da comunidade islâmica nos EUA.

Omar odeia brancos e infiéis, e não faz segredo disso:
ILLAN OMAR NÃO DOMINA O RISO COM AMERICANOS MORTOS



- Traduzimos para si este artigo do BARE NAKED ISLAM:

MINNEAPOLIS: Mulheres muçulmanas somalis em hijabs entre os saqueadores da loja Target

A Congressista Somali Islamista do Minnesota, Ilhan Omar, foi apanhada a distribuir alimentos aos criminosos que no seu próprio distrito estão a tentar provocar uma guerra civil, alegando que "a nossa raiva (pela morte de George Lloyd) é justa". Mulheres usando hijabs foram filmadas a saquear lojas, e a filha de Omar promoveu uma "lista de suprimentos" de que os saqueadores precisariam.




MadWorldNews - A congressista de Minnesota assistiu aos manifestantes a saquearem a loja Target e recusou-se a condená-los. Em vez disso, ela alimentou a revolta, que agora está fora de controle e continua em andamento, fazendo declarações que podem ser interpretadas como encorajamento aos manifestantes.  
Omar, que representa no Congresso o distrito afectado pelos protestos e também onde Floyd perdeu a vida, postou uma série de tweets na noite de quarta-feira, dizendo que "a raiva é justa" e "podemos reconstruir a nossa comunidade".  
Quando Omar diz "podemos reconstruir", perguntamo-nos se ela pagará a conta de todos os negócios que foram saqueados e queimados. Porque é que ela não diz aos seus eleitores para pararem de protestar e saquear?  
A filha adolescente de Omar, Isra Hirsi, também está a promover os saques e o caos e até retweetou uma lista de suprimentos necessários para os saqueadores:




Um vídeo do YouTube desta quarta-feira à tarde mostra mulheres usando hijabs e rindo ostensivamente enquanto saqueavam a loja Target:





Via:

https://barenakedislam.com/2020/05/30/minneapolis-somali-muslim-women-in-hijabs-among-looters-at-target-store/



O SANGUE E AS PROPRIEDADES DOS INFIÉIS PERTENCEM AOS MUÇULMANOS:






ALTO! PÁRA TUDO!
Realmente, para quê esperarmos por um inquérito, por um julgamento, pelos procedimentos da Lei, se a Grande Iva Domingues, renomada especialista em Direito e Investigação Criminal, já emitiu o seu Decreto Infalível?


E quem diz Iva Domingues toda a classe merdiática, coltural, e afins deste mundo!


- Publicado no AMIGO DE ISRAEL 2.0

quinta-feira, 28 de maio de 2020

VIDA EM GAZA: O Vídeo que os Odiadores de Israel Tentaram Esconder


Ouvimos constantemente reportagens dos media sobre os "pobres palestinos" em Gaza.

É verdade que os "palestinos" que vivem em Gaza estão oprimidos - pela liderança cruel e violadora dos direitos do Hamas. No entanto, há muitos que moram lá (nesse território independente que Israel deu aos Árabes) e vivem muito bem.

Israel envia diariamente ajuda humanitária para a Faixa de Gaza, que é usada para infra-estruturas terroristas, como túneis e mísseis, e não para moradias e outros itens essenciais.


Assista e surpreenda-se com a aparência de Gaza e com o quão bem TODAS as pessoas - e não apenas a elite - poderiam viver, se a liderança escolhesse a paz e não o terror:




 

Fonte:

quarta-feira, 27 de maio de 2020

VÍDEO: Homem esfaqueado no metro de Bruxelas


Bruxelas: uma cena incrivelmente violenta filmada no metro de Bruxelas. Um transeunte é esfaqueado com uma faca na frente de todos (vídeo)

Um vídeo circulando nas redes sociais mostra um homem atacando com uma faca uma pessoa caída no chão. A promotoria de Bruxelas não está comenta.


https://www.europe-israel.org/2020/05/bruxelles-une-scene-dune-incroyable-violence-filmee-dans-le-metro-bruxellois-un-passant-se-fait-larder-de-coups-de-couteau-au-vu-de-tout-le-monde-video/


 Hoje em dia, andar de metro nas capitais europeias produz enriquecimento cultural:




O NOVO "NORMAL" EM PARIS:





Ninguém faz nada, é claro! Se alguém se atrever a defender as vítimas arrisca ser preso por "racismo e islamofobia".


A senhora Merkel, os governos de Esquerda, o Papa, a União Europeia e a ONU adoptaram a política das fronteiras abertas (vulgo islamização do Mundo Livre).
Obedecendo a uma longa tradição, muitos europeus culpam os judeus pela invasão islâmica da Europa. Os governos europeus, a UE e a ONU assumem a importação de muçulmanos, mas muita gente culpa "os judeus".
Dizem que "os judeus mandam os muçulmanos invadir a Europa". Não é a essas pessoas que nos dirigimos; é a quem tem algumas células cerebrais ou honestidade.

Veja os nossos posts:


APANHADOS! Barcos de contrabandistas rebocam "migrantes"

"Eurislam" - Projecto OFICIAL de Islamização da Europa


VÍDEOS: Meninas árabes atacam soldados israelitas


Adolescentes "palestinas" atacam soldados das IDF (Forças de Defesa de Israel), esperando uma resposta violenta para efeitos de "Pallywood"
Ahed Tamimi, uma jovem "activista palestina" conhecida por promover propaganda anti-Israel através das produções "Pallywood", foi presa por abusar fisicamente de soldados das Forças de Defesa de Israel, que se abstiveram de responder às provocações.
As duas adolescentes "palestinas" da aldeia de Nabeh Saleh, a noroeste de Ramallah, atacaram os soldados das Forças de Defesa de Israel, na esperança de uma reacção destes que indignasse os residentes e despoletasse o lançamento de pedras, cocktails molotov e outros actos de violência comuns na área.
Acenando com as suas câmaras, as adolescentes gritaram, pontapearam e empurraram os soldados e até esmurraram a cara de um deles.
Uma das meninas era Ahed Tamimi, de 17 anos, cuja família é conhecida por espalhar mentiras sobre Israel e criar apresentações "Pallywood".
Pallywood, uma mistura das palavras "palestino" e "Hollywood", é um termo usado para descrever a manipulação, a distorção ou a fraude mediática, destinadas a conquistar a guerra de relações públicas contra Israel.
Os soldados abstiveram-se de responder à violência, mas as Forças de Defesa de Israel apareceram na casa dos Tamimi durante a noite e detiveram Ahed.

 Via:

https://unitedwithisrael.org/watch-palestinian-teens-abuse-idf-soldiers-hoping-for-violent-pallywood-response/?utm_source=MadMimi&utm_medium=email&utm_content=Trump+Threatens+to+Cut+Aid+to+Nations+Opposing+US+Jerusalem+Move%3B+Urge+Countries+to+Oppose+UN+Action+Against+Jerusalem&utm_campaign=20171220_m143188757_Trump+Threatens+to+Cut+Aid+to+Nations+Opposing+US+Jerusalem+Move%3B+Urge+Countries+to++Oppose+UN+Action+Against+Jerusalem&utm_term=WATCH_3A+Palestinian+Teens+Abuse+IDF+Soldiers_2C+Hoping+for+Violent+_E2_80_98Pallywood_E2_80_99+Resp






 Visite a nossa secção PALLYWOOD

Visite o site:

www.pallywood.com



Para a máquina de propaganda "Pallywood", o êxito é sempre garantido:
- Se os soldados respondem, os jornalistas, omnipresentes, encarregam-se de mostrar a resposta e omitir as provocações.
- Se os  soldados não respondem, são apelidados de "sionistas cobardes", que "têm medo até de crianças".

Em qualquer país maometano, se alguém fizesse a mesma coisa aos soldados locais, seria de imediato abatido. Ainda mais se fossem judeus a fazê-lo (só que na maior parte dos países maometanos, nem há judeus; foram exterminados).

As Forças de Defesa de Israel detiveram a rapariga, o que redunda também num êxito para a propaganda anti-semita, que apresenta a detenção como um "acto brutal", blablabla, a ladainha do costume.
Estas meninas sabem que, façam o que fizerem, estão sempre em segurança, porque vivem em Israel, o único país no Médio Oriente que é democrático e respeitador dos direitos humanos.
Foram detidas, identificadas, libertadas e seguem em tournée pelo mundo inteiro, a receber os louros pelo antissemitismo:




Já por diversas vezes falámos desta menina, que é recebida em apoteose nos países islâmicos e na Europa, e louvada pela esquerda e pelos neo-nazis como uma heroína. Porque dedica a sua vida a provocar e atacar os soldados israelitas.
Repare na horda de hienas jornalísticas, à volta dos soldados, tentando captar imagens que possam apresentar ao mundo como "violência sobre as pobres criancinhas":



A coroa de glória de Ahed Tamimi foi o incidente de Nabi Saleh, quando ela e outros bárbaros atacaram um soldado israelita,  tendo proporcionado fotos que alimentaram durante meses a máquina global de propaganda antissemita.

VEJA ESTE VÍDEO, QUE MOSTRA O OUTRO LADO DO INCIDENTE.

Bassem e Nariman Tamimi treinam os filhos (pobres crianças...) para isto, e vivem disto! 

Ao Mundo não interessa o constante massacre de "infiéis" pelos islamistas, e muito menos as crianças israelitas mortas pelos terroristas. Interessa que um soldado israelita não se deixou matar! O malandro!


Ahed Tamimi, a famosa "Shirley Temper" das provocações encenadas para a propaganda anti-Israel, e a sua irmã Marah, homenageadas pelo terrorista Mahmoud Abbas. Infâncias dedicadas ao terrorismo e ao ódio.


A propaganda Pallywood consegue apresentar como coisa louvável o terrorismo anti-Israel:






Este post fica na nossa secção

PALLYWOOD

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Morticínio de Ramadão 2020


Decapitação de infiéis, ordenada pelo Islão.


O Ramadão de 2020 foi fracote. Ainda que esta mortandade fique muito aquém dos números reais (muitos massacres não chegam a ser conhecidos e muitos feridos vêm a morrer), a quarentena atrapalhou os planos dos guerreiros do deus Alá.
175 ataques. 718 mortos:


Este ano os clérigos até declararam oficialmente a Batalha do Ramadão, para sublinhar a obrigatoriedade islâmica de matar ainda mais infiéis no mês sagrado. Matar infiéis durante o Ramadão é um passaporte seguro para o paraíso islâmico, que consiste num orgasmo perpétuo a fornicar as 72 virgens de olhos negros.
Todos e cada um dos ataques terroristas islâmicos conhecidos, desde o 11 de Setembro, constam da lista do THE RELIGION OF PEACE - uma lista actualizada ao minuto, porque o Islão mata continuamente.


Jihadistas taliban no Afeganistão. Nenhuma autoridade islâmica declarou este ou qualquer outro grupo terrorista islâmico contrários ao Islão. Pelo contrário.


Desde o 11 de Setembro, registaram-se 36956 ataques até ao momento em que vos escrevemos.
No mês de Abril de 2020,  181 ataques, 765 mortos, 475 feridos.
Na semana de 16 a 22 de Maio de 2020, 52 ataques, 187 mortos e 245 feridos.



Confira a lista AQUI.



Neste dia, em 2012

25 de Maio de 2012: Houla, Síria
Dezenas de crianças estão entre os civis inocentes
executados pela milícia xiita: 108 mortos
Funeral das 108 vítimas mortais. Os media ocidentais calam sistematicamente estas notícias, para não danificar a imagem do Islão.


Note-se que estes números se referem apenas aos ataques terroristas. Não incluem a matança rotineira nos matadouros de "infiéis". Ver por exemplo:
http://www.asianews.it/news-en/Fr.-Samir:-This-too-is-Islam.-The-video-of-the-beheading-of-a-young-Tunisian-convert-24970.html




Porque é que nos fazem crer que isto é normal? 


Dos 57 países islâmicos que existem actualmente, muitos produzem petróleo. Esse dinheiro é, aliás, largamente usado na promoção da jihad, pelo Qatar, Irão, Arábia Saudita e outros. Os governos ocidentais não querem estar de más relações com quem produz petróleo.
Mas essa é apenas uma das razões para que as atrocidades islâmicas continuem a ser toleradas, quando durante séculos nos custou tanto a expulsar os invasores bárbaros genocidas maometanos das nossas terras (Europa, Médio Oriente, Ásia, África, o Islão desde as suas origens que procura subjugar o mundo inteiro).
É que presentemente, a aliança entre o Islamismo, o Globalismo e o Comunismo, fala mais alto. E os jornalistas, que são praticamente todos de extrema-esquerda, escondem quanto podem sobre a realidade do Islão.


O que faz falta é islamizar a malta:


Entre as patranhas que os jornalistas infiltram na cabeça das populações sem sentido crítico ou preparação mínima, estão as desculpas habituais de que o terrorismo:

- são apenas "casos isolados" (um total absurdo,  os números falam por si).
- são pessoas que não compreendem o Islão (outra aldrabice, pois o Islão é isto mesmo, veja sff a nossa secção DOSSIER ISLÃO).

Olhar para as fichas técnicas dos jornais, das rádios, das televisões, hoje em dia, é olhar para um estendal de comunistas, socialistas, bloquistas e outros extrema-esquerdistas. Ao serviço da sua ideologia (e de quem lhes paga), os jornalistas são hoje verdadeiros terroristas ao serviço do Islão.
A ideologia comunista vê o Mundo em termos de opressores e oprimidos. Escolhe o seu lado em qualquer disputa segundo esse filtro patológico. Assim sendo, os muçulmanos, sendo contra os Estados Unidos, sendo contra Israel, sendo contra o Mundo Livre, são aliados naturais.
O raciocínio demencial dos comunistas é que "se eles matam, alguma razão têm". E a razão é que "são oprimidos".  É Comunismo, não precisa de fazer sentido.
Lembre-se do pós 11 de Setembro e de como a extrema-esquerda saiu em defesa do Islão. Porque foram os "amaricanos" a ser atingidos.
Veja como a extrema-esquerda apoia abertamente o Hezzbollah, o Hamas, a Jihad Islâmica, todos os grupos terroristas que matam judeus e israelitas. Não é raro vermos mesmo manifestações de extrema-esquerda em apoio do Estado Islâmico, embora os partidos comunistas oficialmente não os apoiem de forma tão óbvia.
É tudo uma questão de "os inimigos dos meus inimigos meus amigos são".

É por isso que eles odeiam tanto Trump, Bolsonaro, Órban, Netanyahu e todos os governantes que defendem as vítimas do Islão e travam a islamização do Mundo Livre:

Ao terrorista islâmico Obama, que matou 10 milhões de "infiéis", a extrema-esquerda amava:

Trump salva os Cristãos - Daí tanto ÓDIO!


Só canalhas, burros ou doentes mentais podem apoiar o Islão:

MIL MILHÕES DE MUÇULMANOS QUEREM A LEI ISLÂMICA SHARIA

COMO O ISLÃO DESTRÓI AS SOCIEDADES



"Ah, mas isso é lá longe e eu não tenho nada a ver com isso!". Não é bem assim, porque eles já cá estão e já cá matam e já cá enganam, com falinhas mansas, com a famosa taqiyah (a obrigação de mentir para bem do Islão):



Felipe Neto recomenda SODOMIA

  Olavo de Carvalho avisou - é atrás das crianças que eles andam! Felipe Neto, o ídolo da juventude, o queridinho do Sistema, o modelo para ...