terça-feira, 7 de novembro de 2023

Demissão de Costa: e as alegadas ligações ao narcotráfico e ao jihadismo? - I


Agora que este governo está a ser investigado por corrupção, esperemos que as autoridades não ignorem as graves acusações de ligações ao narcotráfico e ao jihadismo. 

Por exemplo: 

Corrupção no governo português: Vitor Escária lavou dinheiro para Sócrates e Costa, manipulando Ricardo Salgado e Jardim Gonçalves


- Por Yosef Cohen, TOTALNEWS


Vitor Escária, economista. Professor da Universidade de Lisboa, ISEG, Instituto Superior de Economia e Gestão. A mesma escola onde ensina Francisco Louçã, político da extrema esquerda portuguesa, cronista do PRAVDA, de círculos extremistas internacionais.

A sua juventude foi passada na Argentina e na Colômbia, lutando ao lado de movimentos terroristas e extremistas de esquerda. Francisco Louçã quis reciclar o seu currículo depois de entrar na vida política de Portugal, com dinheiro da família Braga Gonçalves, da loja maçónica Casa do Sino. 
A família Braga Gonçalves está implicada em grandes casos de corrupção, branqueamento de capitais, tráfico de armas, droga, marfim e diamantes. 
Braga Gonçalves deu dinheiro para fundar o Bloco de Esquerda a Francisco Louçã e Miguel Portas e financiou a conquista do poder por Paulo Portas no partido CDS/PP. 
Braga Gonçalves é agora um lobista que trabalha para o grupo de Paulo Portas e Manuel Dias Loureiro.

Vitor Escária foi funcionário do gabinete de José Sócrates, primeiro-ministro socialista acusado de corrupção, e foi o contacto entre José Sócrates e representantes da Líbia, Irão, Venezuela e outros países ligados ao narcotráfico e ao financiamento do terrorismo.

Vitor Escária, hoje chefe de gabinete do primeiro-ministro socialista de Portugal, António Costa, antes da queda de Kadafi, esteve várias vezes com Ricardo Salgado, presidente do banco BES, na embaixada da Líbia em Lisboa.

Vitor Escária telefonou a Ricardo Salgado para o acompanhar ou para ter uma conversa privada antes ou depois de uma recepção diplomática. A mesma coisa aconteceu várias vezes na Embaixada da Venezuela.

Vitor Escária relacionou-se com José Sócrates, e agora, com António Costa, é ele quem distribui o dinheiro. É o operador que circula dinheiro entre políticos e jornalistas portugueses e empresas como a MOTA-ENGIL.

Vitor Escária esteve relacionado com a empresa do grupo MOTA-ENGIL, MARTIFER, em troca de favores políticos, como chefe de gabinete de José Sócrates.

O dinheiro que Vitor Escária recebeu da Líbia e da Venezuela foi usado para pagar, entre outras, empresas de comunicação que haviam trabalhado para o Partido Socialista, como Luis Bernardo e Luis Paixão Martins, que agora trabalham para António Costa.

Vítor Escária e Francisco Louçã, com Mariana Mortágua, propuseram uma distinção honorária a Ricardo Salgado no ISEG. O advogado no meio de tudo isto foi Eduardo Hintze Paz Ferreira, também professor da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, que parece ser uma parceria desta faculdade de Direito com o INISEG de Vítor Escária e Francisco Louçã.

Vitor Escária ligou para Ricardo Salgado para encontrar uma forma de circular o dinheiro de criminosos da Líbia e da Venezuela usando o sistema bancário português.

Vítor Escária convenceu Ricardo Salgado a realizar esta operação porque era do interesse dos interesses nacionais de Portugal. Foi política externa, e em muitas dessas operações Ricardo Salgado não ganhou nada, apenas problemas.

Vitor Escária, José Sócrates e António Costa, com o grupo de Manuel Dias Loureiro, ganharam muito.

João Rendeiro, Ricardo Salgado e Jorge Jardim Gonçalves caíram quando disseram NÃO ao grupo de José Sócrates e Manuel Dias Loureiro que pretendiam ter Pedro Passos Coelho “pelas colh*es”. Só Manuel Dias Loureiro e o seu grupo da Líbia, Líbano e Marrocos se salvaram porque sempre disseram SIM a José Sócrates e Vítor Escária salvou o banco BPN e roubou o povo português, referenciado por vários órgãos de Informações como centro de branqueamento de capitais e financiamento de terrorismo internacional.

 

Jornalista espanhola, Cristina Seguí, denuncia que o narcotráfico patrocina partidos de esquerda na América Latina e na Europa. #RecordTV


Via:

Gabriel Mithá Deputado da Nação CHEGA - Leiria


"O narcoterrorismo governa em Portugal e está a orquestrar uma perseguição ao estilo nazi contra a comunidade judaica" - TOTALNEWS


Por João Lemos Esteves – Especial Agência Total News

 

Portugal é o país mais perigoso da Europa neste momento, e Boaventura de Sousa Santos, conselheiro de Lula da Silva, é o culpado. 

Boaventura Sousa Santos, formalmente, é um estudioso de Coimbra, espalhando a sua influência por todo o continente americano E transformando as suas aulas em comícios políticos. 

Boaventura Sousa Santos não faz ciência, faz política. Apenas política. 

A sua "ciência" serve os seus objetcivos políticos; no entanto, ele é um dos académicos que mais dinheiro recebe de várias agências de pesquisa científica ao redor do mundo. 

O dinheiro assim arrecadado é destinado aos projectos políticos de Boaventura Sousa Santos e seus companheiros – reiteramos: em Boaventura Sousa Santos não há distinção entre ciência e política. 

Em Portugal, este assessor de Lula da Silva está infiltrado em todas as instituições de ensino superior relevantes, impondo uma "ditadura de um só pensamento". 

O problema é que esta infiltração não se limita à academia: pelo contrário, Boaventura de Sousa Santos contribuiu ativamente para que António Costa, actual primeiro-ministro de Portugal, alcançasse o cume do poder político em Portugal através da mediação de um acordo entre socialistas, comunistas e trotskistas.

Assim, António Costa deve este enorme favor ao conselheiro de todos os narcoterroristas à escala global, o que significa que António Costa carece de uma distância crítica de Boaventura Sousa Santos e das suas alianças terroristas internacionais. 

Dentro do Governo português, Boaventura Sousa Santos controla o seu querido discípulo num cargo chave do governo - na Presidência do Conselho de Ministros - por onde passa toda a informação do Estado, toda a actividade legislativa e política do Governo; este discípulo chama-se Alexandre Teixeira Neto Guerreiro. 

Boaventura Sousa Santos e Alexandre Teixeira Neto Guerreiro são caixas de ressonância da propaganda russa, do Partido Comunista Chinês e do Chavismo; de facto, as suas conexões com esses regimes desonestos vão muito além da mera disseminação de narrativas que lhes convêm…. A guerra deles não é apenas a guerra comunicacional...

Refira-se que Boaventura Sousa Santos e o seu discípulo Alexandre Teixeira Neto Guerreiro, que é um agente oficial do governo português que tem ligações públicas e notórias com outros Estados (Estados opostos aos aliados formais de Portugal), têm enorme influência nas universidades portuguesas, nas estruturas do Estado Português, nos serviços de informações e até nos Tribunais. 

Boaventura Sousa Santos criou um lobby denominado “Observatório Permanente da Justiça Portuguesa” cujo objectivo é pressionar a Justiça a avançar na direcção dos interesses do grupo Boaventura Sousa Santos.

Segundo um ex-aluno de Boaventura de Sousa Santos, quem ingressa nas suas aulas tem que mostrar um profundo ódio aos Estados Unidos e a Israel, criticar duramente a CIA e a Mossad como “agentes do mal” – basicamente, fazem o equivalente em terras portuguesas (e não só) ao que acontece nas universidades do Irão, onde os melhores alunos ganham o "prémio" de pisar nas bandeiras dos EUA e de Israel. 

Aliás, se há um tema constante nos discursos e acções de Boaventura Sousa Santos, é o seu profundo antissemitismo; Boaventura Sousa Santos odeia o povo judeu. E alimenta um ódio ainda mais profundo por Israel, e pelo que chama "sionismo". 

Para Boaventura Sousa Santos e para o seu discípulo, colaborador do primeiro-ministro português António Costa, Alexandre Teixeira Neto Guerreiro, ambos apoiantes e conselheiros de Lula da Silva, Israel é um “estado terrorista” que deve ser aniquilado.

Agora, o ódio de Boaventura Sousa Santos a Israel atingiu um nível (ainda) mais alto: ele justificou uma perseguição ao povo judeu ao estilo nazi pelo governo português. 

Pelo menos contra a comunidade judaica, que Boaventura Sousa Santos e seu bando de narcoterroristas sabem ser activa, orgulhosa do Judaísmo, socialmente dinâmica, como sem dúvida é a Comunidade Israelita do Porto. 

Como Boaventura de Sousa Santos colonizou o Estado português desde que António Costa assumiu o cargo de primeiro-ministro, o Estado português está a ser manipulado para cometer as maiores atrocidades contra quem se opõe ao governo socialista-comunista e aos interesses do seu grupo. 

Há uma perseguição contínua da comunidade judaica em Portugal, sem limites, semelhante àquelas horríveis perseguições que ocorreram na América Latina e na Europa no passado; o antinazismo e o antifascismo dos socialistas-comunistas António Costa e Boaventura Sousa Santos são puros jogos rectóricos para enganar os crédulos.

Não julgavamos ser possível ver um rabino, como o muito competente, dinâmico e mais que honesto rabino Daniel Litvak, ser humilhado pela autoridade estatal portuguesa.

 

Mega corrupção no Governo socialista de Portugal: Vitor Escária é a toupeira de Nicolás Maduro nos serviços portugueses


Por Yosef Cohen – Especial Total News Agency

Portugal é um centro de operações de branqueamento de capitais para Nicolás Maduro e para o regime de Teerão. A Ilha da Madeira é um local estratégico, pela sua opacidade, por ser fácil corromper decisores para deixarem passar todas as operações financeiras dispensando algumas formalidades mais apertadas, e é por isso usada pela Venezuela (e pelo seu aliado Irão), que lá têm uma rede imensa de informadores, de pessoas de confiança e de estratégias de branqueamento de capitais.

O Grupo Sousa, grupo de transporte marítimo português, financiou o PS de José Sócrates e António Costa e o CDS/PP de Paulo Portas. Contava com um antigo banqueiro português, de Banco BES Madeira, agora detido em Estados Unidos. Este banqueiro passava informações financeiras de políticos portugueses e realizava operações de branqueamento de capitais em benefício de regime de Nicolas Maduro. 

A Madeira é uma região de Portugal onde o advogado e professor de Direito de Portugal Eduardo Hintze Paz Ferreira tem muita influência e clientes. O advogado Eduardo Hintze Paz Ferreira ajuda juridicamente operações de branqueamento de capitais a favor de Venezuela e Irão, faz lobby junto do Governo de Madeira e une a Esquerda, é um homem que manobra politicamente partidos de esquerda, sectores progressistas da Igreja Católica de Portugal e compra políticos de Direita, sobretudo do partido CDS/PP e alguns do Partido Social-Democrata. Eduardo Hintze Paz Ferreira aproximou-se de politico Pedro Santana Lopes e do grupo de Manuel Dias Loureiro.

Vitor Escária é o homem que Eduardo Hintze Paz Ferreira maneja , além da sua Mulher Francisca Van Dunem, que controla a Justiça de Portugal,  para realizar os seus negócios com a Venezuela. 

Eduardo Hintze Paz Ferreira eliminou, com a ajuda do actual presidente de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa (e outros de família Rebelo de Sousa; o seu irmão António tem muitos interesses…), o antigo fiscalista português José Luís Saldanha Sanches. Saldanha Sanches preocupava-se com a corrupção em Portugal e com o dinheiro sujo da Venezuela conquistando poder e influência. 

Sampaio da Nóvoa, até recentemente embaixador de Portugal na UNESCO, nomeado por Augusto Santos Silva e Marcelo Rebelo de Sousa, através da influência de Eduardo Hintze Paz Ferreira,  é outro histórico homem em Portugal conectado com cartéis de trafico de droga da Colômbia e Venezuela. Sampaio da Nóvoa colaborou com grupos terroristas no passado, incluso na tentativa de invasão de Embaixada de USA em Portugal.

Vitor Escária é o operativo da Venezuela em Portugal, que faz conexão entre grupo de José Sócrates, Eduardo Hintze Paz Ferreira e Paulo Portas (mais à direita no partido CDS/PP). 

Vitor Escária é homem das fotocópias (código para "dinheiro") de José Sócrates (gente ligada a Vitor Escária no DCIAP de Lisboa inventou a estória de João perna, motorista de José Sócrates como sendo homem das fotocópias).

Vitor Escária é chefe de gabinete de PM de Portugal António Costa na actualidade. Diogo Lacerda Machado instruiu António Costa para escolher Vitor Escária. Diogo Lacerda Machado, advogado e lobbysta português, controla o gabinete de António Costa. 

Vitor Escária é operativo que faz circular dinheiro da Venezuela e de cartéis de droga da Venezuela/Colômbia , e facilita a entrada de capital de Irão em Portugal, fá-lo mesmo circular por jornalistas, políticos e empresários.

Vitor Escária distribui dinheiro de Venezuela por jornalistas portugueses (das publicações NASCER DO SOL, Inevitável, PÚBLICO e DN, O NOVO) para passarem mensagens simpáticas ao seu grupo politico, branqueando dinheiro a mesmo tempo. 

Vitor Escária faz chegar dinheiro da Venezuela a grupos de humoristas portugueses conectados à empresa PRODUÇÕES FICTÍCIAS e JOVEM CONSERVADOR DE DIREITA, grupo de paródia contra críticos do Partido Socialista de José Sócrates e António Costa em Portugal. 

Vitor Escária, chefe de gabinete do António Costa, Primeiro-Ministro de Portugal, usa também editora de livros para branquear dinheiro da Venezuela. Uma de essas editoras é a TINTA DA CHINA, que tem políticos de esquerda e de direita. 

Vitor Escária liga regularmente a directores de jornais portugueses , como Mário Ramires, Marco Galinha, Bárbara Reis/Manuel Carvalho, Rosálio Amorim, Anselmo Crespo, Ricardo Costa,  para encomendar artigos a dizer bem de António Costa e do Partido Socialista e para perseguir e despedir periodistas que desafiam António Costa, José Sócrates ou que falem da Venezuela e do Irão.

Os portugueses ficariam chocados com as conversas de Vitor Escária com directores de jornais portugueses – com Mário  Ramires inventou estórias para processos judiciais contra críticos de António Costa e mandou Bárbara Reis investigar o procurador Rosário Teixeira para o matar socialmente.  

Vitor Escária e a Bárbara Reis agendaram jantares em casa de António Costa e falaram de como a Bárbara Reis, jornalista extremista do jornal antissemita português PÚBLICO, ajudou o filho de António Costa, Pedro Costa, em Campo de Ourique, uma Freguesia da capital do Portugal, Lisboa.. Falaram de um Alexandre Guerreiro que ”já estava no terreno”…

Vitor Escária, homem-chave para se perceber o branqueamento de capitais de Venezuela da Europa, e também para se perceber a importância do fundo HORIZONE como saco para receber dinheiro de corrupção de António Costa, Vitor Escária, Augusto Santos Silva e outros políticos socialistas portugueses.

Vitor Escária solicitou ao SIS (Intel portuguesa) que pusesse sob escuta todos os críticos da Venezuela e do Irão em Portugal. Há jornalistas portugueses que estão sob escuta há mais de dois anos a pedido de Vitor Escária para este passar os seus dados aos venezuelanos e aos iranianos.

 

"Partido Socialista é uma associação mafiosa" - POLITUGAL 


Quem o diz (E DEMONSTRA!) é o canal POLITUGAL, que a MARIA DA FONTE tem muito oportunamente publicitado. Nós concordamos. É um partido podre - em todos os aspectos!
Admire mais esta poderosa colecção de factos expostos pelo POLITUGAL sobre a quadrilha maçónica que se apossou de Portugal há 47 anos (já o tinha feito na Primeira República):



A Esquerda portuguesa numa imagem.


Visite o canal da MARIA DA FONTE:


E o POLITUGAL.


UM PARTIDO PODRE:

Exclusivo: Jornalismo português cobarde é uma BANDALHEIRA: a lista dos jornaleiros comprados pelo sistema com bolsas e bolsinhas

 


Por Costa Moreno – TOTALNEWS

As fake news devem ser denunciadas, contraditas e desconstruídas. Sempre, sem medos, sem hesitações, sem medir as palavras, sem medir consequências. As fake news destroem as democracias e há uma espécie de fake news que se tornou habitual na esquerda KEKE portuguesa que são as fake news sobre fake news. Onde andam os jornalistas portugueses sempre a lamber as botas aos poderosos, aos políticos, aqueles com quem querem ficar sempre bem, aqueles com quem querem trabalhar, sempre à procura de BENESSES, de PRESENTINHOS, de SALARIOZINHOS, de EMPREGOZINHOS nos gabinetes de Ministros, nos gabinetes de CEO’s que lhes pedem publicidade grátis, etc…VERGONHA!!! O jornalismo português é uma BANDALHEIRA nunca vista em nenhum país, não é democrático, é CIVILIZADO! 

O Jornalismo português é MEDIEVAL, SEM VERGONHA, feito de MENTIRAS, MENTIROSO, só quer MATAR pessoas em vez de informar. O Jornalismo é o discurso de ÓDIO que existe em Portugal, uma BANDALHEIRA odiosa!

Andaram os periodistas a atacar tudo e todos, todos os que não são do sistema corrupto, de compadrios, trocas de favores, uma mão lava a outra dos políticos socialistas, à esquerda e á direita, porque há socialistas na direita, chamando fake news a tudo o que não gostam. Era tudo uma grande fake news! E agora? Onde andam os denunciadores de fake news? Quem se atreve a chamar fake news a tudo o que não gostam? A tudo que não é de seu interesse! QUEM??? Jornalismo cobarde é o jornalismo português! Jornalistas que são corajosos se tiverem debaixo da saiazinha do António Costa e dos seus interesses! VERGONHA!!!

Agora os subornos que a Mariana Mortágua e ao Bloco de Esquerda são fake news??? O contrato que a TOTAL NEWS mostrou entre o Ricardo Salgado e  a Marianita Mortágua (onde anda ela??? Onde anda Mariana Mortágua??? Desaparecida??? A estrela do Bloco de Esquerda não aparece em campanha??? Tem medo???) é fake??? Já o leram? Não? Vão lê-lo e sejam sérios! Sejam sérios! Não têm coragem de denunciar a Mariana Mortágua? A quem interessa protegê-la? VERGONHA!

As ligações entre o João Rendeiro com o João Cotrim Figueiredo e o António Costa, os pagamentos que o João Rendeiro fez ao António Costa a mando do João Cotrim Figueiredo? Os cheques como o que TOTAL NEWS mostrou e mostra aqui outra vez que o João Rendeiro assinou em benefício do António Costa? Não interessam??? 

Os jornalistas portugueses que gostam tanto da verdade, são tanto anti-fake news, denunciadores de fake news, agora não lhe INTERESSA mostrar a VERDADE??? Onde andam os guerreiros da Verdade? Onde? Estão desaparecidos em combate! Apareçam cobardes vendidos! Não passam de VENDILHÕES DO TEMPLO DAS MENTIRAS!

 


Fica uma curta lista de jornalistas vendidos ao sistema sempre a fazer favor aos seus amigos, aos seus donos:

– Pedro Coelho, SIC;

– Luis Delgado, VISÃO, homem que conheço bem não tem dinheiro para ir ao Mcdonald’s e finge-se dono de um jornal às cavalitas do “outro”…agora quer ir para Figueira…

– Clara Ferreira Alves, Expresso;

– Miguel Carvalho, Visão;

– Nuno Miguel Ropio, pobre ignorante que não sabe o que é o Hezbollah (foi ver a wikipedia) mas escreve como grande sabichão…é um rodopio de mentiras, de fretezinhos, miss António Costa este jovem, deixa esse rodopio, ó Ropio!

– Mafalda Anjos, Visão;

– José Pacheco Pereira, o periodista estoriador (não historiador porque não tem formação para isso) , só inventa estórias;

– Bárbara Reis, PÚBLICO, a senhora das chineladas e das chinaladas…

 – Vitor Rainho, NASCER DO SOL;

– João Campos Rodrigues, Inevitável

A vergonha destes jornalistas/comentadeiros é tão gigante que para além de omitirem notícias ao povo português recebem bolsas , milhares de euros para criar estruturas de matança social dos seus adversários políticos! 

Inventando notícias sobre os inimigos e destruindo, escondendo, apagando sobre notícias sobre os seus amigos, camaradas, companhias de almoçaradas, jantaradas, bebedeiras no Bairro Alto de Lisboa, quem lhe paga as férias para ir ao ski (ou ao sku….). O Miguel Carvalho, o Pedro Coelho, a Bárbara Reis recebem dinheiro de fundações privadas, e empresas privadas, bancos, gasolineiras para “combater as fake news” – mentira, é para escreverem aquilo que a Fundação Gulbenkian e os interesses instalados querem que eles escrevam. O Pedro Coelho teve a VERGONHA de elogiar terroristas espanhóis! Tenha VERGONHA, aprenda a fazer jornalismo! As conversas da Bárbara Reis ouvidas do ORIENTE são interessantes, quando ela discute com muitas pessoas (políticos, banqueiros..) sobre o que deve escrever, como deve escrever, qual o ângulo, como humilhar, como não humilhar, a pedir para lhes escreverem rascunho…uma BANDALHEIRA do terceiro mundo.

A BANDALHEIRA tem de acabar. As fake news que negam notícias que apresentam evidências são fake news mais graves. Têm de ser denunciadas e combatidas , mesmo criminalizadas como crime que são. Lembrei-me agora…oh Pacheca Pereira, somos do norte, do Porto, peço-lhe…escreva sobre mim, Costa Moreno, que o conheço ainda andava de calções…Escreva sobre mim, vá, acuse-me de fake news ou de indecência como tem experimentado há muitos meses contra muitos jornalistas com sua arrogância mentirosa e peseteira…que o diga o Domingos Duarte Lima! As histórias que o Domingos contava sobre si…a esquerda KEKE…Vá, Pacheca, escreva sobre mim e não atenda o telefonema do assessor do António Costa a prometer-lhe mais uma ajudinha…e uma jantarada com a Bárbara no chinês. A Bárbara paga com a bolsa da Gulbenkian. Peça-lhe para escrever sobre as entregas de dinheiro que o Salgado fazia à Mariana, sobre o António Costa receber dinheiro do João Rendeiro, ou têm medo de ser despedidos??? COBARDES! É uma BANDALHEIRA esta mentira de jornalismo português! Vamos revelar as mentiras, os esquemas, conversas dos COBARDES, MEDRICAS, DOMESTICADOS “jornalistas”portugueses!

 

A especialidade do Coelho Albino aqui em cima é difamar o CHEGA!

Sem comentários:

Enviar um comentário