quinta-feira, 2 de maio de 2019

O antissemitismo é uma expressão de inveja?



Hoje é Dia Internacional da Recordação do Holocausto. O antissemitismo nunca esteve tão em alta. Eu, que nunca fui antissemita, não entendo os motivos para tanto ódio. (Não gostar, embirrar, ter aversão a um grupo humano, também não consigo conceber, mas daí não vem muito mal ao mundo. Já perseguir e exterminar pessoas de um dado grupo, é um bocadinho aborrecido).
Os argumentos actuais para o antissemitismo mereceram-nos há dias uma Carta Aberta aos Neo-Nazis.

A Questão do "Povo Escolhido"
Mesmo as pessoas que não são tão dementes e tão básicas como os neo-nazis, demonstram por vezes uma certa má-vontade que se prende com a velha questão do "Povo Escolhido". Ciúmes? Inveja? De quê? A mesma Bíblia que milhões de cristãos seguem e milhões de muçulmanos respeitam, apresenta os judeus como Povo Escolhido. Temos logo aí um contra-senso. Aceitam a Bíblia como a Palavra de Deus, mas não aceitam a Palavra de Deus em relação aos judeus. A Bíblia é a História do Povo Judeu.
O Judaísmo é a religião tradicional dos judeus. Alguém por aí sabe em que consiste a religião dos Drusos, por exemplo? Alguém se incomoda por eles se consideraraem escolhidos de Deus? Alguém se perguntou, quando vai ao templo da sua religião, se é abusivo que o respectivo sacerdote se refira aos fiéis como o Povo de Deus? Afinal, todas as religiões partem do princípio de que são a Religião de Deus, e de que estão pelo menos mais perto de Deus do que as outras.
Tratando-se de ateus, o caso é igualmente absurdo. Se a Bíblia não passa de um "conto de fadas", porquê ficarem tão ofendidos com o que lá está escrito?
Mais importante ainda: a Bíblia estabelece os judeus como Povo Escolhido, mas nunca diz para quê!
Não existe qualquer implicação de que os judeus sejam melhores ou mereçam mais os favores de Deus. Os judeus foram "escolhidos" porque os outros povos recusaram a missão de empunhar o facho do monoteísmo. Se algum preço o ser "escolhido" acarreta é mais responsabilidade ética e muito mais dificuldades em sobreviver, como a História dos Judeus atesta.
Não só o Judaísmo estabelece que um não-judeu justo tem mais mérito que o Sumo-Sacerdote, como o Judaísmo não é exclusivista ou racista, e aceita novos membros na tribo - ao contrário dos Xintoístas, dos Drusos, dos Hindus e de todas as religiões tribais, como o Judaísmo.
Em suma, parece-nos que o antissemitismo é um indicador seguro de que a Revelação do Judaísmo encerra pelo menos uma grande dose de verdade. Como diz  ditado, não se atiram pedras a árvores sem frutos.

Nota: Os judeus não chegam a ser 0,2% da Humanidade. Metade dos 13 milhões de judeus existentes são laicos (agnósticos, ateus, "não praticantes", "não ligam a religião", etc.). Da outra metade, a maioria dos judeus são reformistas e não acreditam no pacto entre Deus e o povo judeu no Sinai. Apenas uns 2 milhões de judeus são ortodoxos, e crêem nesse pacto eterno.
Temos para nós que é mais razoável estudar, frequentar umas aulas de Judaísmo numa sinagoga ortodoxa, marcar uma entrevista com um rabino, e tirar as dúvidas, em vez de pegar numa metralhadora e desatar a matar judeus, como fez o jovem neo-nazi de San Diego no passado sábado. Ou mandar os judeus aos milhões para campos de extermínio, só por se desconhecer a teologia judaica ortodoxa ou eventualmente se discordar dela. 
Vamos ao artigo:


Guido Maisuls en exclusiva para Diario Judío México

Artículo original de © israelnoticias.com | Autorizado para su difusión incluyendo este mensaje y la dirección: https://israelnoticias.com/antisemitismo/mal-le-hecho-los-judios-la-humanidad
Guido Maisuls en exclusiva para Diario Judío México

Artículo original de © israelnoticias.com | Autorizado para su difusión incluyendo este mensaje y la dirección: https://israelnoticias.com/antisemitismo/mal-le-hecho-los-judios-la-humanidad
O anti-semitismo é uma expressão de inveja? Ao longo da História, muitos tentaram exterminar os judeus: os amalequitas, os assírios, os babilónios, os gregos, os romanos, os persas, os inquisidores espanhóis, os nazis e agora o ISIS, o Hamas, o Hezbollah, o Irão nuclear e todo o espectro do jihadismo islâmico. Que mal, em toda a História, os judeus fizeram à Humanidade?
Hoje é ouvido em quase todas as grandes cidades do mundo "Fora com os judeus do meu país", "Judeus para a câmara de gás", "Morte aos judeus", "Morte a Israel". Hoje, ser anti-semita já não é percebido como reprovável, mas como uma atitude politicamente correcta e acertada.
Como exemplo, em França, 37% dos entrevistados expressam abertamente o seu ódio aos judeus; na Alemanha cerca de 27%; na Itália 20%; na Polónia depois de milhões dos seus judeus terem sido massacrados em Auschwitz,  45%; e na Grécia e na Hungria ultrapassam os 60%.

Manifestação de muçulmanos, comunistas, gays, feministas, nazis e hippies em Lisboa, em apoio ao grupo terrorista, islamista e nazi Hamas, a propósito da Operação Protecção-Limite

A inveja, de acordo com as definições da Real Academia Espanhola, é a tristeza ou o pesar pelo bem dos outros e o desejo por algo que não é possuído.
A validade do arquétipo do judeu de sempre e que prevalece hoje mais do que nunca no mundo é a de um indivíduo de inteligência aguda, com uma personalidade independente, com uma forte inclinação para aprender, com uma acentuada aspiração a uma educação superior e sempre muito disposto a intervir em todas as inovações oferecidas por novos tempos.
A inveja ocorre como uma consequência de duas tendências que levam o indivíduo a desejar o que ele não conseguiu e a comparar-se com outros em vários aspectos do empreendimento humano.
O povo judeu, por causa das suas idiossincrasias, por causa dos sofrimentos intermináveis ​​experimentados durante os seus mais de 3.300 anos de vida, conseguiu valorizar a acumulação de aprendizado, a adaptação e a experiência que colocou em prática em todos os países onde teve uma chance de viver, desenvolvendo aspectos marcantes de pluralidade e tolerância em relação a outras religiões e aceitando democraticamente todas as correntes judaicas internas, sejam ortodoxas, conservadoras, reformistas e liberais.

Manifestação de muçulmanos, comunistas, gays, feministas, nazis e hippies em Lisboa, em apoio ao grupo terrorista, islamista e nazi Hamas, a propósito da Operação Protecção-Limite. Estas senhoras, em Gaza, seriam severamente punidas, por usarem calças e saias, terem o cabelo à mostra, não serem muçulmanas, etc..

O anti-semitismo é uma expressão de inveja?
O Prémio Nobel foi concedido a 846 pessoas, das quais 194 são judeus, 23% do total dos prémios, embora os judeus sejam menos de 0,2% da população mundial.
Do total dos prémios, os judeus têm 26% no Nobel da Física, 27% na Fisiologia e Medicina, 41% na Economia, 20% na Química, 12% na Literatura e 9% dos Prémios Nobel da paz.
Entre os valores mais invejados estão o prestígio, o reconhecimento, o status profissional, o dinheiro, o poder, a qualidade de vida e os bens materiais.
Ao longo da História, os judeus trouxeram uma dose de talento vital à Humanidade em todos os campos do empreendimento humano: cultura, literatura, artes, jornalismo, medicina, ciência, filosofia, política, pesquisa, indústria, negócios, finanças e entretenimento.
"A inveja e o ódio estão sempre unidos, eles fortalecem-se pelo facto de perseguirem o mesmo objecto" - do escritor francês Jean de la Bruyère.

Manifestação de muçulmanos, comunistas, gays, feministas, nazis e hippies em Lisboa, em apoio ao grupo terrorista, islamista e nazi Hamas, a propósito da Operação Protecção-Limite.

O ódio é inveja encoberta?
Como é que Israel se tornou uma nação próspera e voltada para a inovação, desenvolvimento e criatividade, tão rapidamente? O Estado de Israel priorizou desde os seus começos desenvolver uma excelente educação pública e um sistema inteligente de colonização da terra em forma de comunidade, através dos "kibutzim", tornando o Estado de Israel um verdadeiro exemplo do que é capaz de alcançar um povo a quem é negado o direito de viver.

Manifestação de muçulmanos, comunistas, gays, feministas, nazis e hippies em Lisboa, em apoio ao grupo terrorista, islamista e nazi Hamas, a propósito da Operação Protecção-Limite.

São essas as causas da inveja?

Hoje, o fenómeno empresarial israelita é eminentemente cultural, baseado numa mentalidade não estruturada que não funciona com base em cânones tradicionais, sempre investindo em educação, empreendedorismo e inovação.
O sucesso deve-se ao facto de Israel ter escolhido a inovação criativa, o enriquecimento do material humano e a interconexão produtiva gratuita com a economia global, atraindo investimentos, encorajando a estabilidade económica e aliviando barreiras regulatórias.
Apostou-se na criação de incentivos reais para a formação de novas empresas, no desenvolvimento de centros de pesquisa inovadores, na capacidade inovadora das universidades e das forças armadas e num plano ambicioso para a abertura gradual da economia ao mundo desenvolvido .


Manifestação de muçulmanos, comunistas, gays, feministas, nazis e hippies em Lisboa, em apoio ao grupo terrorista, islamista e nazi Hamas, a propósito da Operação Protecção-Limite.

Por tudo isto, há emoções contraditórias e misturadas, como o desejo de ter o que outra pessoa tem, a dor de não o ter, o desgosto pelo que o outro alcançou, a indignação de considerar injusta a diferença que nos mostra a realidade, e a incerteza por não entender as diferenças óbvias que ocorrem entre os seres humanos.

Manifestação de muçulmanos, comunistas, gays, feministas, nazis e hippies em Lisboa, em apoio ao grupo terrorista, islamista e nazi Hamas, a propósito da Operação Protecção-Limite. Metade desta malta seria executada num país islâmico (por serem gays, por consumirem álcool e drogas, por serem ateus, etc.).

O antissemitismo é uma expressão dessa inveja?

Do prestigioso historiador alemão Theodor Mommsen (Prémio Nobel de Literatura em 1902): 
"Estão enganados se acreditam que se pode combater o anti-semitismo pela razão... Os anti-semitas só dão ouvidos ao seu ódio e inveja, aos seus piores instintos ... O anti-semitismo é uma epidemia terrível, como a da cólera: não é possível explicá-la ou curá-la".

A inveja é ódio e o anti-semitismo é inveja? E você, o que acha?

Artigo original de © israelnoticias.com | Autorizado para a sua divulgação, incluindo esta mensagem e o endereço: https://israelnoticias.com/antisemitismo/mal-le-hecho-los-judios-la-humanidad

Manifestação de muçulmanos, comunistas, feministas, gays, nazis e hippies em Lisboa, em apoio ao grupo terrorista, islamista e nazi Hamas, a propósito da Operação Protecção-Limite. A bandeira gay em apoio ao islamismo é cúmulo! Este senhor seria executado sumariamente na maior parte dos países islâmicos.



Os Maoístas portugueses do Bloco de Esquerda na manifestação nazi-jihadista.



Garcia Pereira e Arnaldo Matos, membros do MRPP, apoiantes do Comunismo mais radical (que passa pelo assassinato dos opositores, estilo Venezuela, Coreia do Norte, etc.) e entusiastas do Estado Islâmico e do terrorismo jihadista global, foram à manifestação:



As ideologias mais assassinas, mais odiosas, colhem sempre adeptos fervorosos entre pessoas com mau íntimo, invejosas, ressentidas. E entre os oportunistas, que sonham sair da mediocridade à custa da ideologia e do aparelho partidário.
Os comunistas culpam a sociedade capitalista pelos seus insucessos pessoais, e sonham com o dia em que poderão finalmente saquear os bens dos "ricos" em proveito pessoal.
Não olham à labuta que produz a riqueza e o status daqueles a quem invejam. Culpam a sociedade, "o sistema". E, olhando para os estratos ricos da sociedade inevitavelmente vêem lá judeus (como veriam se olhassem para as camadas mais pobres). São pois, para eles, os judeus que "controlam o sistema". São os judeus então a causa da sua infelicidade. 
Os nazis, uma variante do comunismo, acusavam os judeus pobres de serem uns incapazes indignos de viver e os judeus ricos de serem excessivamente ricos para sua condição de judeus. Voltamos a ver comunistas e nazis juntos no mesmo desígnio: eliminar quem melhor incarna os valores que odeiam. Com a agravante de ambas as ideologias serem furiosamente anti-Deus, e de os judeus serem o povo da Bíblia.
Os muçulmanos, escravos de uma ideologia que os condena ao fracasso a todos os níveis, procedem de igual modo.
Os comunistas mataram 6 milhões de judeus. Os nazis mataram outros tantos. A Europa ficou sem os seus judeus, que foram a base do seu sucesso durante 2 milénios. Agora, que a Europa troca alegremente alguns judeus por já mais de 55 milhões de muçulmanos, instala-se o caos, o terrorismo, a guerra civil. Quem é que os anti-semitas culpam? Os judeus, pois claro! São os judeus - dizem eles - que mandam para cá os muçulmanos, vede bem! Na maior parte dos países islâmicos nem é permitida a entrada de judeus, e os que havia foram exterminados, mas "são os judeus que mandam os muçulmanos invadir a Europa"!
Em todas as épocas, o anti-semitismo foi um traço característico dos seres humanos frustrados e mal-formados. Rivalizaram com as atrocidades dos nazis as que foram cometidas pelas populações locais dos países que aguardavam a invasão nazi. Em países como a Lituânia, a inveja longamente recalcada explodiu em massacres cometidos pela turba, que queimava os judeus vivos e a seguir lhes saqueava os bens e lhes ocupava as casas.
Hoje, questionados sobre os motivos do seu ódio, e rebatidas as infantilidades da propaganda "palestina" e da sua máquina de mentiras neo-nazi, os eternos odiadores apresentam o seu argumento de eleição:
"Se foram perseguidos e expulsos de toda a parte, por alguma razão foi"!
Estudar? Averiguar os factos? Ora! Vai agora uma pessoa abdicar de um ódio que a faz tão feliz! E é tão bom ver os vídeos do David Icke, e da sua teoria de que os judeus são lagartos espaciais que dominam a Terra!
Durante 2 mil anos, os judeus eram mandados para Israel. Agora que o seu micro-país (o único fundado por Deus) é de novo independente, os odiadores querem os judeus de lá para fora.
Há sempre um motivo para os frustrados odiarem os judeus - sejam ricos ou pobres, ignorantes ou sábios, arrogantes ou humildes, esquerdistas ou direitistas, ateus ou religiosos, os judeus serão são sempre acusados de uma coisa e do seu oposto.
Mas antes odiarem-nos do que chorarem lágrimas de crocodilo pela sua extinção!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Adolescentes emboscados por drag-queen na igreja

Dantes, nos tempos da "Guida Scarlatti", estes espectáculos chamavam-se de travesti, eram para adultos e decorriam no famoso clube...